Chegamos em 2018. Redes sociais, Whatsapp, Instagram, a vida na tela de um celular. Ficamos mais conectados com o mundo e desconectados dos nossos amigos e familiares. Em nome da rotina extenuante, você não tem horário para quase nada, mal sai da sua mesa, laptop ligado com o celular ao lado, um olho no peixe, outro no gato e nem reparou no sorriso da sua colega de trabalho estampado no rosto, pois ela soube que estava grávida, nem o semblante tristonho do nosso colega, pois acabara de perder um ente querido e precisava de um apoio. Alimenta-se mal e não faz atividades físicas, os joelhos doem, aquela blusa que você tanto gosta já não serve mais. Então se matricula em uma academia. Durante seis meses era só você e os equipamentos, mal sabia o nome do seu instrutor, tédio total. Aquele plano anual fechado foi perdido. Chegando em seu prédio, percebe que mal conhece os vizinhos do seu andar, nunca sequer tomou um café com eles. Há tempos que seu corpo não recebe doses extras de endorfina e serotonina, os hormônios das felicidade.

Pessoas desconectadas de sorrisos, abraços, de sensações que fazem nos lembrar de que estamos vivos, pessoas que dirigem empresas com 5.000 ou mais funcionários, mas que tem dificuldades em coordenar sua perna direita antes da esquerda. Dia após dia vemos mais pessoas vivendo desta maneira, quase em um modo automático. Elas estão sofrendo do que costumamos chamar de Síndrome do Isolamento Social. E depois que algumas destas pessoas entendem que de alguma forma estão ficando doentes, acabam encontrando a solução em remédios controlados, psicólogos, viagens sem sentido e vazias de sentimento, enfim…A verdade é que elas não entendem de verdade o que estão passando e por isso não veem que a solução é muito mais simples do que imaginam. O que elas precisam é sorrir, encontrar outras pessoas, se divertir, colocar os pés no chão e voltar a se conectarem com o mundo. E uma das formas mais poderosas de se fazer isso é através da dança.

Nós da Casa de Dança Carlinhos de Jesus temos certeza que somente duas horas por semana poderão mudar a sua vida, pois acreditamos que a felicidade continua em olhar para frente e enxergar um sorriso, na satisfação plena após um passo de dança bem executado, na magia de uma dança a dois, onde 3 minutos, podem valer para uma vida toda, pois não somos mercadores de passos, realizamos sonhos.

By | 2018-02-28T14:32:23+00:00 Fevereiro 28th, 2018|Categories: Uncategorized|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment